with Nenhum comentário

“A música, quando entra na sua memória, é como um quadro colocado na parede. Fica na sua memória e nunca mais sai”. A frase dita pelo maestro João Carlos Martins carrega consigo uma teoria que pode ser usada como fruto de resgate. Sendo assim, o projeto #MusicasParaSempre tem o intuito de criar músicas com memórias pessoais direcionadas a quem tem Alzheimer.

O projeto foi baseado em uma recente pesquisa alemã feita por neurocientistas do Instituto Max Planck de Neurociência e Cognição Humana de Leipzig, que aponta que a área do cérebro responsável pelo registro de informações musicais e sonoras é pouco afetada pela doença, sendo então poderosas ferramentas no tratamento e identidade dos pacientes. “As recordações mais duradouras são aquelas ligadas a uma experiência emocional intensa e a música tem uma relação estreita com as emoções; a emoção é uma porta de entrada para lembrar”, contou à revista Brain a musicoterapeuta da Fundação Alzheimer Espanha, Fátima Pérez-Robledo.

A ideia começou com uma ação da agência Isobar em conjunto com a Mares Filmes, BossaNovaFilms e a Dahouse Audio para promover o filme “A Viagem de Meu Pai”, que fala sobre a relação de uma filha com o pai portador da doença. Assim veio a primeira versão do #MusicasParaSempre, que se inspirou na história do Sr. Hélio Elpídio, diagnosticado com Alzheimer há três anos. Assista o vídeo:



Fonte: Hypeness

Deixe uma resposta