with Nenhum comentário

O livro “Brasil: uma visão geográfica e ambiental do início do século XXI”, lançado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em agosto deste ano, aponta que a expectativa de vida da população brasileira aumentou 41,7 anos em pouco mais de um século. Enquanto em 1900 a expectativa de vida era de 33,7 anos, em 2014 passou para 75,4 anos. Com isso, constantemente são realizados estudos para entender a biologia do envelhecimento, afinal, saber qual é a fórmula ideal para viver uma vida mais longa e saudável costuma ser um desejo universal.

Conforme o Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos (National Institutes of Health), a evidência sólida sobre o assunto aponta que a melhor maneira de aumentar a chance de ter uma expectativa de vida maior e de forma ativa é seguindo o clássico conselho: comer de forma balanceada, exercitar-se regularmente, dormir o suficiente e ficar longe de maus hábitos, como o cigarro. E em relação aos genes? Uma pesquisa realizada pela Faculdade de Medicina da Universidade de Boston (Boston University Medical Campus) mostra que os genes influenciam em menos de um terço as chances de sobreviver até 85 anos de idade. A grande maioria das variações a respeito da expectativa de vida ocorrem devido aos comportamentos de saúde.


10-11.png

Deixe uma resposta