with Nenhum comentário

Dias atrás, deparei com uma mãe colocando uma garrafa pet em uma lata de lixo orgânico. Seu filho, ao vê-la fazendo isso, deu logo um xingamento: “Mãe, você não sabe que isso é errado?”. Ela, por sua vez, respondeu: “Ainda não sou muito acostumada: quando eu era pequena, não tinham inventado a ecologia”.

De fato, as questões relacionadas à sustentabilidade como um todo são mais acentuadas atualmente. Antes de essa mãe nascer, porém, outra forma semelhante de perceber o mundo de um jeito solidário, o cooperativismo, já existia. Criado na Inglaterra, em 1844, em plena Revolução Industrial, ele já trazia em seu DNA esse olhar mais amplo proposto pela atual sustentabilidade, de consciências social, econômica e ambiental, sugerindo um trabalho em conjunto como forma de superar situações infaustas, convertendo-as em oportunidades. Dessa forma, é possível dizer que o cooperativismo é um modelo sustentável porque é altruísta: a organização de uma cooperativa se baseia em valores de ajuda mútua, algo de que o mundo carece atualmente.

Neste mês de julho, no dia 7, comemoramos o Dia Internacional do Cooperativismo. À frente de uma das singulares do maior sistema cooperativo médico do mundo, a Unimed, acredito que temos muito a celebrar. Isso porque testemunho todos os dias o sucesso deste modelo economicamente eficiente, democrático, igualitário e solidário, cujos sete princípios são: adesão livre e voluntária; gestão democrática; participação econômica; autonomia e independência; educação, formação e informação; intercooperação; e interesse pela comunidade.

Trata-se de uma corrente, na verdade. Médicos se unem para gerar trabalho, o que demanda a contratação de outros profissionais. Juntos, eles buscam a promoção da saúde, enquanto gestores também criam projetos voltados à inclusão e à educação, que permitem que um filho tenha conhecimento para mostrar a sua mãe a importância de jogar uma garrafa pet no lugar correto. Afinal, a vida é um grande ciclo, e o cooperativismo pode ser uma forma interessante de torná-lo cada vez mais proveitoso.

Dr. Marcelo Fonseca Frigeri

Presidente da Unimed Nordeste-RS

Deixe uma resposta